12 de jan de 2017

Vereadora Rute Costa inicia mandato renunciando aumento salarial

RENÚNCIA AO AUMENTO DE SALÁRIO

Rute Costa foi eleita vereadora de São Paulo (SP) com 33.999 votos
Em meio a crise econômica que assola o Brasil, no dia 20 de dezembro de 2016, em sessão realizada no período da tarde daquela terça-feira, restando apenas 10 dias para que findassem seus mandatos, os vereadores da Câmara Municipal de São Paulo aprovaram o reajuste de 26,3% para 2017 elevando o ganho dos 55 vereadores do município de R$ 15.031,76 para R$ 18.991,68.

No dia 01 de janeiro de 2017, em sessão solene realizada na mesma casa, foram empossados os vereadores eleitos em outubro, dentre eles destaco a Irmã Rute Costa, membro da Assembleia de Deus paulista, eleita com 33.999 votos. Com apenas 12 dias de mandato, no último dia 09, Rute assina de próprio punho renúncia ao aumento, sem mesmo ter participado da aprovação, confira nota publicada por ela em seu perfil no facebook, também cópia do documento por ela protocolado no órgão competente da CMSP.

Sustentando meu compromisso de manter minha legislatura clara e transparente, em especial para aqueles que, com confiança, depositaram em mim a esperança de um Município melhor, informo que desde o dia 10 de janeiro de 2017, ou seja, décimo dia de meu mandato, RENUNCIEI aos valores acrescidos aos meus subsídios, me comprometendo a restituir ao erário Municipal os valores acrescidos ao meu holerite.

O documento foi devidamente protocolado na Presidência da Câmara Municipal de São Paulo, como bem demonstra a foto.

Como é de ciência de todos, tenho apenas 12 dias como Vereadora de São Paulo, e NÃO VOTEI O AUMENTO DO SALÁRIO, nem pude expressar minha opinião sobre ele até o momento. Minha opinião segue como ato, como deve ser toda a atuação política, e não como discurso meramente demagógico.

RENUNCIEI ao aumento, independente dos efeitos de decisão judicial, porque sou consciênte de minha função de tradutora dos anseios paulistanos.Há 12 dias, fiz a promessa de que buscaria fazer da Câmara Municipal a voz do povo, e de meu mandato o instrumento para sua consecução. Optei em dedicar minha vida ao serviço público, e levar o cargo à essência de sua nomenclatura.

Assim, as prioridades da população paulistana são, e permanecerão sendo a prioridade e o alvo de meu exercício funcional.

Considero incoerente e inadequado o aumento de meu salário, em especial, pelo momento de crise financeira que vive o país, e que atinge frontalmente o Município Paulistano, sua produtividade, seus recursos e seus cidadãos, meus eleitores.

Meu compromisso não é com o aumento de meu salário, mas com o reerguimento de meu Município, sua fortificação e com o socorro e auxílio direto de meus concidadãos.

RENUNCIEI AO AUMENTO DE MEU SALÁRIO; AO AUMENTO QUE NÃO VOTEI; MAS SE TIVESSE VOTADO, NÃO APROVARIA.

Por fim, quero salientar que, torno pública minha decisão não para celebrar ou colher aos louros do que considero mera obrigação, mas para, desde já, reafirmar a aqueles que depositaram em mim a confiança e voto,não me esquecerei de meus compromissos.
Rute Costa