17 de abr de 2013

“Não quero ser presidente da CGADB”, revela Pr. José Neco

Eleito vice-presidente da instituição, ministro diz não querer ser líder da Assembleia de Deus no Brasil


No primeiro culto de doutrina que comandou em Maceió após a 41ª Assembleia Geral Ordinária (AGO), ocorrida semana passada, em Brasília, o pastor José Antonio dos Santos, presidente da Convenção e da AD em Alagoas, declarou que não pretende e nem tem o desejo de ser candidato a presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) daqui a quatro anos. Quando findar esse prazo, haverá uma nova eleição para escolha da mesa diretora da instituição e o atual presidente, pastor José Wellington Bezerra da Costa, não poderá sair para a disputa.



A afirmação do pastor José Neco despertou a curiosidade dos ministros presentes ao templo-sede, na noite desta terça-feira (16). Isso porque, segundo conversas de bastidores, o líder da Assembleia de Deus em Alagoas teria grandes possibilidades de ser eleito o presidente da CGADB caso resolvesse concorrer ao posto mais alto da maior denominação evangélica do País. Entretanto, o pastor alagoano tratou de afastar a hipótese e ainda explicou quais seriam os motivos que o impediriam.

“O pastor José Wellington Bezerra da Costa não poderá concorrer à reeleição daqui a quatro anos. Terá que ficar longe da disputa por força do estatuto. Não sei quem irá concorrer. Só que eu não quero e nem chego perto. É muita responsabilidade, um grande desafio e, para se manter bem no cargo, precisa-se ter sangue e cabeça fria, além de coração quente. E o pastor Wellington tem o jeito de manejar a Palavra e tratar com os convencionais”, afirmou

Além de revelar que não tem a intenção de assumir a liderança da igreja no Brasil, o pastor José Neco elogiou a postura adotada pelo atual presidente da CGADB. “Lutamos juntos pelo bem estar da Assembleia de Deus no Brasil. Tentamos de todas as maneiras manter a sã doutrina fundamentada na Palavra. Não temos a intenção de forçar as pessoas a nada. Queremos mesmo é mostrar o caminho e dar o exemplo correto para que os membros possam seguir”, comentou.

Por outro lado, o presidente da AD em Alagoas fez menção às medidas adotadas pelo pastor Samuel Câmara (PA), que tentava assumir a Convenção Geral. “O nosso concorrente levou a Igreja a 18 processos na Justiça. Queria agir pelo impulso, diferentemente de nós, que não revidamos. Depois da eleição, tentou mudar tudo, pediu desculpas e terminou ficando tudo bem. O que ele fez, prejudicou a ele mesmo”, falou o pastor Neco.

Ele ainda agradeceu a gentileza das congratulações por conta da vitória no pleito eleitoral da CGADB e pelas orações em seu favor. “Esperei em Deus, já que um pastor do Nordeste estava concorrendo comigo e viajou o Brasil todo em busca de convencer os pastores. Não fiz questionamento e deixei com o Senhor. Por fim, vencemos e atribuo à vontade de Deus em nossas vidas”, afirmou, acrescentando não saber como obteve mais de 7.900 votos nesta eleição.

Homenagem

O pastor José Luiz, dirigente da Assembleia de Deus no Tabuleiro do Martins, em Maceió, pediu a palavra, no culto de doutrina, para expressar a alegria que sentiu depois do êxito do pastor Neco na eleição da Convenção Geral. Ele também revelou que o ex-governador Ronaldo Lessa (PDT) estava em Brasília, semana passada, e tentou falar com o presidente, mas não teve sucesso. Mesmo assim, segundo José Luiz, o político parabenizava pela expressiva votação.

Fonte: Portal AD Alagoas