5 de dez de 2012

Pastor Neco completa 81 anos e recebe homenagens da AD Alagoas

Presidente da Convenção Alagoana é também o Presidente da UMADENE e 5º vice-presidente da CGADB

Irmã Francisca Cavalcante dos Santos e o esposo, pastor
José Antonio dos Santos, aniversariante deste 5 de dezembro

A reunião ministerial da Assembleia de Deus em Alagoas teve um ingrediente especial a mais na última terça pela manhã, 4. Os pastores e evangelistas com suas esposas iniciaram as homenagens referentes à passagem de mais um ano do pastor-presidente José Antonio dos Santos, que seguiu até à noite, na tradicional celebração da Santa Ceia da Igreja Sede em Alagoas.

O ministro do Evangelho está comemorando 81 anos de vida, boa parte dela dedicada ao evangelho. Ele nasceu precisamente no dia 5 de dezembro de 1931 e se transformou em um dos obreiros mais admirados e respeitados aqui e fora do País.



Além da atribuição local de comandar a maior denominação evangélica, o ministro do Evangelho preside a Convenção dos Ministros da Assembleia de Deus em Alagoas (Comadal) há 26 anos, a União de Ministros da Assembleia de Deus no Nordeste (Umadene) há oito anos (4º mandato) e é o vice-presidente (região Nordeste) da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB). Ano que vem é candidato à reeleição e deve ser eleito para o quinto mandato.

Muito querido em Alagoas e no Brasil, o obreiro costuma dizer, sobre sua labuta, que faz o “que pode, o que sabe e o que entende”. E é dessa forma que conduz uma das igrejas assembleianas mais coesas do Brasil. “Estou muito feliz por chegar até aqui e pretendo continuar servindo ao Senhor e sua Igreja”, disse o presidente, que mantém uma agenda diária de atividades no interior alagoano e pelo Brasil.

Sua história
O garoto José Antonio dos Santos nasceu em 5 de dezembro de 1931, na cidade de Santana do Ipanema-AL, filho de Alcides Antonio dos Santos e Otília Cavalcante dos Santos. Com uma infância simples e com muitas dificuldades, trabalhava na roça para ajudar os pais no orçamento doméstico, até que, aos 14 anos, decidiu aprender uma profissão. “Espelhei-me num sapateiro chamado Nô Marcolino, que hoje não está entre nós. Eu andava 12 quilômetros para aprender a profissão, e com menos de dois anos já estava vivendo por conta própria”, relata o pastor José Antonio dos Santos.

Ele conta que ainda jovem tomou a decisão de viajar e tentar a vida em outro lugar. Passou por Sergipe, Paraíba e São Paulo, onde trabalhou num cafezal. Lá foi convidado para liderar 40 homens, quando ainda tinha 22 anos, demonstrando, com isso, sua vocação para a liderança.

Em São Paulo, conheceu a jovem Francisca, com quem se casou. Voltou para Alagoas quando tinha 24 anos, por motivo de doença, mas já tinha ouvido falar da salvação por Jesus Cristo numa fazenda paulista. No mês de junho de 1955 (com 24 anos) aceitou a Jesus Cristo como seu salvador, e, depois, com alguns dias, sua esposa também aceitou. Ele foi batizado em Maceió no mês de agosto de 1956, no ano anterior tinha sido batizado no Espírito Santo. Foi separado para o diaconato em agosto de 1958. Dois anos depois passou a presbitério e em 1962 foi ordenado ao ministério de pastor-evangelista.

Formado em Teologia pelas Escolas Teológicas das Assembleias de Deus no Brasil, bacharel em Teologia pela Faculdade de Filosofia e Teologia de Alagoas e doutor em Divindade pela Faculdade de Filosofia e Teologia Filadélfia, é conhecido carinhosamente, em todo o Brasil, como “Pastor Neco”, e sua simplicidade é admirada em todos os países que tem visitado, confirmando a Palavra do Senhor: “Os passos de um homem são confirmados pelo Senhor”. Pai de seis filhos – Jota, Jemima, Geilza, Jedida, Jesana e Jeilma – e avô de 13 netos, sempre conciliou tempo entre a igreja e a família.

A presidência alagoana
Na função de vice-presidente da igreja, o pastor José Antônio dos Santos assumiu a presidência interinamente em novembro de 1985, pois o pastor Manoel Pereira Lima adoeceu gravemente, ficando impossibilitado de exercer as suas atividades. Durante seis meses, o pastor José Antônio esteve à frente da igreja e do ministério, desempenhando de forma íntegra e fiel as suas atividades.

Após o falecimento do pastor Manoel Pereira Lima, o pastor José Neco, consternado com a morte do seu líder, manteve-se firme e sereno, conduzindo de forma equilibrada e sensata a igreja do Senhor até que um novo líder assumisse a direção. Havendo a necessidade de ser eleito um novo presidente em Alagoas, o pastor convocou o ministério alagoano para realizar a eleição no dia 03 de junho de 1986.

Muito prudentemente convidou para presidir a referida eleição o pastor José Rodrigues Sobrinho, presidente da AD de Sergipe. Para que houvesse lisura no processo, o pastor Rodrigues assumiu a presidência em AL, oito dias antes da eleição.

No dia 03 de junho, data para a eleição do novo líder, no auditório do templo-sede, o pastor José Rodrigues solicitou, por duas vezes, ao ministério que os candidatos à presidência se apresentassem. Diante do silêncio, alguns pastores apresentaram José Antônio como o único candidato, assim foi eleito por unanimidade. O pastor convocou o presbitério da capital para comunicar a eleição efetuada pelos obreiros do interior e, ao mesmo tempo, pedir-lhes também a aprovação. Da mesma forma, os presbíteros da capital aprovaram a sua eleição, e, no dia 6 de junho de 1986, assumiu efetivamente a presidência da igreja e do ministério em Alagoas.

Na noite da sua posse, cercado por pastores de diversos estados, por sua família, pelo ministério local e pela igreja, o pastor José Antônio dos Santos afirmou que desejava desenvolver o ministério presidencial marcado por três coisas: unção, união e alegria. Realidade esta que aqueles que o acompanham têm atestado em sua gestão.

Fonte: AD Alagoas