23 de mai de 2012

Jovens usam mais a internet para fins religiosos

91% dos evangélicos que usam a Internet, fazem algum uso religioso, aponta pesquisa

Quase metade dos adultos que usam a Internet, o fazem para fins religiosos, indica um novo estudo do Instituto Grey Matter Research. Os pesquisadores entrevistaram mais de 1000 adultos que usam a Internet regularmente.

O Grey Matter utiliza as técnicas de estatística mais atuais e tem se especializado em temas religiosos. A margem de erro desta pesquisa é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.



Veja alguns sobre os diferentes aspectos dessa “religiosidade digital”:

• 19% visitaram, nos últimos seis meses, o site da igreja ou outro local de culto que eles frequentam.

• Durante esse mesmo período, outros 17% visitaram o site da igreja ou lugar de culto que eles não frequentam.

• Nos últimos seis meses, 19% visitaram pelo menos um site que oferece alguma forma de ensino religioso.

• 17% leem blogs de religião uma vez por mês ou mais.

• 14% têm um pastor ou outro líder religioso como amigo no Facebook ou outra rede social semelhante.

• Nos últimos seis meses, 11% visitaram pelo menos um site de um grupo ou organização religiosa diferente da sua

• 10% já “curtiram” a página de uma igreja ou outro local de culto no Facebook ou outra rede social semelhante.

• 8% participam uma vez por mês ou mais de discussões on-line sobre religião (por exemplo, grupos de e-mails ou fóruns).

• 2% seguem uma igreja ou outro local de culto no Twitter.

• Outro 2% seguem um pastor ou outro líder religioso no Twitter.

O uso da Internet para fins religiosos é mais comum entre os jovens. Cinquenta e sete por cento dos adultos com idade inferior a 35 usam a Internet para fins religiosos; 48% estão entre 35 e 49 anos; 36% têm de 50 a 64 anos e 31% já passaram dos 65.

Obviamente, as pessoas que são ativas em sua religião usam mais a Internet para fins religiosos. Por exemplo, 69% dos entrevistados que frequentam cultos uma vez por mês ou mais usam a Internet para fins espirituais, contra 27% daqueles que não frequentam o culto. Da mesma forma, 70% das pessoas que leem a Bíblia ou outro texto sagrado pelo menos uma vez por mês usam a internet para esse fim, em contraste com 28% entre aqueles que não leem.

Católicos romanos são menos propensos a usar a Internet para fins espirituais que os evangélicos. Por exemplo, 91% dos evangélicos que usam a Internet, fazem algum uso religioso. Um dado curioso é a frequência que a Internet é usada para esse fim por pessoas que não são religiosas. Cerca de 27% das pessoas que não frequentam reuniões religiosas usam a Internet para fins espirituais e 23% de ateus e agnósticos fazem o mesmo.

Ron Sellers, presidente da Grey Research, salientou que a comunidade religiosa on-line não é necessariamente um reflexo da comunidade religiosa off-line. “Os jovens são particularmente suscetíveis a usar a Internet para fins religiosos, mas eles parecem fazer tudo pela internet hoje em dia… No entanto, os jovens em geral são menos propensos que as pessoas mais velhas a frequentar os cultos ou ter uma identidade religiosa específica. Para essa geração, a Internet parece ser uma parte significativa de sua experiência de fé”.

Sellers também observou a grande diversidade como a Internet é usada para fins espirituais. ”Nenhum tipo de uso ou método religioso domina a Internet”, explicou. “Existem diferentes atividades que avaliamos, não só blogs ou sites de igreja e as mídias sociais. Há uma enorme diversidade na maneira como as pessoas usam a web para atividades espirituais, desde tirar dúvidas sobre a fé até participarem virtualmente de cultos, períodos de oração ou louvor”.

Fonte: Gospel Prime/Urban Christian News